História

João Póvoa iniciou-se na produção de vinhos com marca em 1991 com a Quinta de Baixo, sendo o primeiro produtor individual de referência do concelho de Cantanhede.

Desde 2005 a empresa chama-se Kompassus, e tem ainda hoje uma filosofia de produção de vinhos assente em raízes e tradições familiares. Dedica-se á produção de vinhos de excelência sustentada por métodos de produção e práticas de viticultura de intervenção mínima. A empresa é detida por João Póvoa, médico oftalmologista de profissão, mas agricultor por genética. O entusiasmo pelo vinho iniciou-se quando tinha apenas 8 anos de idade, e desde logo se envolveu no terroir da Bairrada e este na sua vida – os solos, o clima e as suas castas. A Baga, como casta dominante, apaixonou-o para aquela que foi desde logo a base de todos os seus vinhos tintos e espumantes. Grande parte das uvas são ainda hoje provenientes de vinhas velhas com mais de 70 anos de idade. São essencialmente vinhos de pequenas produções, na prática são 30 anos de dedicação à produção de vinhos com marca. A sua família já produzia vinhos na Bairrada, e foi com a sua mãe e com o seu pai que João Póvoa aprendeu os primeiros segredos desta região e desenvolveu uma paixão que o seguiu ao longo da vida. Ao longo de todos estes anos chegaram ao mercado extraordinários vinhos, hoje, verdadeiras relíquias, vinhos que exibem finess, requinte, concentração, profundidade. Daqueles que causam verdadeiro prazer. E por estes atributos, múltiplos reconhecimentos e importantes distinções de mérito têm sido conquistadas desde 1991.

Conceito de Marca

A conceção da marca Kompassus tem como explicação a prática de instalação de vinhas num compasso ou uma densidade de plantação mais apertada entrelinhas, e que ronda os 6000 pés/ha. Esta técnica resulta em corredores mais estreitos que distam entre si cerca 1.70m. É uma prática antiga, desde sempre usada nas vinhas da Kompassus, mas actualmente em vias de extinção.

viticultura e enologia
Conceito de vinhos originais

As vinhas estão situadas numa localização privilegiada na Cordinhã, os solos são predominantemente argilo-calcários com forte exposição solar a sul. As uvas da casta Baga provêm de vinhas velhas com aproximadamente 70 anos de idade. A base de encepamento são castas autóctones, tais como; Baga, Bical, Arinto, Cercial e Maria Gomes. Além destas, a Touriga Nacional e o Pinot Noir, o Verdelho e o Alvarinho. As vinhas são orientadas segundo práticas de viticultura de intervenção mínima. Desde 2012 que a enologia é orientada pelo enólogo Anselmo Mendes especialista em brancos frescos e atlânticos, mestre em Alvarinhos, e desde há muito admirador dos vinhos mais genuínos da Bairrada e que conta com Magda Costa, enóloga residente da Kompassus, na elaboração dos vinhos. A sua participação é responsável pela plantação das castas Verdelho e Alvarinho exclusivamente em solos calcários, e o resultado foi surpreendente.

Conceito de Vinhos

Vinhos de Boutique Vinhos de Boutique. Os vinhos Kompassus são produzidos de acordo com o que vinha nos dá mais do que por qualquer desígnio do mercado. São vinhos produzido em quantidades limitadas sempre com o objectivo de preservar a máxima potencialidade das vinhas e a qualidade do vinho naquele ano em específico. Com uma área de vinha de pequena dimensão as uvas são na totalidade colhidas manualmente, e provêm em grande maioria de vinhas com mais de 70 anos de idade. A categoria de vinhos está posicionada num segmento qualitativo médio alto, transversal a todas as linhas de produtos. As quantidades por referência variam entre as 600 e as 25.000 garrafas, num total de 80.000 garrafas/ano.